JOSEPH SCHUMPETER E A DESTRUIÇÃO CRIATIVA

QUEM FOI

Joseph Alois Schumpeter foi um economista e cientista político austríaco. É considerado um dos mais importantes economistas da primeira metade do século XX, e foi um dos primeiros a considerar as inovações tecnológicas como motor do desenvolvimento capitalista.

O professor Schumpeter nasceu na pequena cidade de Triesch, que fica a 120 km de praga, que hoje fica na República Checa, porém na época ela fazia parte do Império Austro-Húngaro. Ele nasceu em em 1883 que é o mesmo ano da morte de Karl Marx e do nascimento de John Maynard Keynes. Filho único de família católica, seus pais eram alemães. O pai, um fabricante de tecidos, morreu precocemente. Sua mãe, Johanna, em 1893 casou-se com oficial de alta patente do exército austro-húngaro, chamado Sigmund von Keler. Logo após o casamento, a família mudou-se para Viena, onde Schumpeter foi imediatamente matriculado em uma das escolas preparatórias de maior prestígio, lá estudou temas como matemática, ciências, história, literatura e vários idiomas.

UNIVERSIDADE DE VIENA

Em 1901 Schumpeter ingressou na faculdade de Direito da Universidade de Viena, “que na época era uma das melhores universidades do mundo, comparável a Oxford e Cambridge.” (SOBEL & CLEMENS, 2021, p.10).

Em Viena Schumpeter se graduou em Direito Civil e Romano, porém ele também estudava muito economia e história. Muitos grandes economistas ao longo da história não haviam feito a graduação em economia.

Joseph Schumpeter foi aluno dos economistas austríacos, Friedrich von Wieser e Eugen von Bohm-Bawerk e foi colega de Ludwig von Mises, é bom ressaltar que Schumpeter na visão de muitos não faz parte da EA, pois ele (principalmente) quando mais velho tinha suas diferenças em relação a EA.

Schumpeter se formou em 1906 tendo publicado três artigos todos de natureza estatística mostrando sua preferência por uma abordagem mais matemática da economia.

Schumpeter casou-se de repente com Gladys Ricarde Seaver, uma inglesa membro da aristocracia doze anos mais velha que ele.

Em 1908 publicou a obra Methodological Individualism (Individualismo Metodológico), obra que foi traduzida para o inglês apenas em 1980, essa é a primeira obra de Schumpeter e é sua obra mais “austríaca”. No prefácio da obra F.A. Hayek diz:

“Muitos dos seus alunos se surpreenderão ao saber que o entusiasta da macroeconomia e cofundador do movimento econométrico uma vez ofereceu uma das exposições mais explicitas do “individualismo metodológico” da Escola Austríaca.”

F.A. HAYEK

Em 1908, com apenas 25 anos ele escreveu e finalmente publicou a obra “A natureza e o conteúdo da economia teórica”, que foi uma avaliação abrangente da economia com ênfase particular na tentativa de reduzir a divisão entre as principais escolas de pensamento econômico da época, particularmente a alemã e a austríaca.

Em 1908 retorna a Viena para cursar o equivalente ao que conhecemos hoje como PHD e após conseguir o título foi para universidade de Czernovitz onde publico a obra, Die Theorie der Wirschaftlichen Entwicklung (Teoria do desenvolvimento econômico), pela primeira vez, Schumpeter apresentou o papel central do empreendedor na economia.

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

Em 1911 se transferiu para a universidade de Graz, onde ficou dois anos e depois foi convidado para palestrar na Universidade de Columbia nos EUA.

Em 1919 se tornou Ministro das Finanças da Áustria.

Infelizmente a Áustria passava por um momento de hiperinflação dos preços e Schumpeter não conseguiu resolver o problema o que o fez ficar apenas alguns meses no cargo, Schumpeter passou a ser malvisto por muitos austríacos na época devido a sua gestão como ministro.

“Na Áustria, após 1922, o nome “Schumpeter” tornou-se quase um palavrão entre o povo, referindo-se ao princípio “Krone é Krone”, pois o economista J. A. Schumpeter, durante sua curta gestão como ministro da fazenda, deu seu nome a uma ordem do conselho que simplesmente explicitava uma lei indubitavelmente válida, a saber: que os débitos contraídos em coroas, quando estas tinham um valor mais alto, poderiam ser pagos em coroas depreciadas, que no final retinham apenas uma décima quinta milionésima parte de seu valor original”

F.A. HAYEK

Após deixar o cargo de ministro, ele retornou a Universidade de Graz, onde permaneceu até 1921 quando decidiu pedir demissão e iniciar a carreira como investidor e banqueiro. Se tornou gestor e presidente do banco Bidermann Bank de Viena, e por 3 anos teve muito sucesso.


Em 1924 a bolsa de valores de Viena sofreu um terrível Crash a fazendo perder cerca de três quartos de seu valor. Schumpeter perdeu grande parte de sua riqueza pessoal e acumulou muitas dívidas. O banco faliu.

ESTADOS UNIDOS E HARVARD

Após esse triste episódio, decidiu voltar a dar aulas, desta vez na Universidade de Bonn, Alemanha, de 1925 a 1932. Com a ascensão do Nazismo, teve que deixar a Europa. Foi para os Estados Unidos onde assumiu a docência em Harvard. Permaneceu nos Estados Unidos até a sua morte, em janeiro de 1950.

O professor Schumpeter ficou conhecido por diversas ideias, entre elas podemos citar:

Empreendedorismo, Destruição Criativa, Ciclos Econômicos, Democracia.

DESTRUIÇÃO CRIATIVA:

“O ponto essencial a entender é que, ao falar de capitalismo, falamos de um processo evolutivo […] O capitalismo, então, é por natureza uma forma ou método de mudança econômica e não apenas nunca é, mas nunca pode ser estacionário […] O impulso fundamental que define e mantém o motor capitalista ligado vem dos novos bens de consumo, os novos métodos de produção ou transporte, os novos mercados, novas formas de organização industrial que a empresa capitalista cria […] o mesmo processo de mutação industrial […] que revoluciona incessantemente a estrutura econômica de dentro, destruindo incessantemente a antiga e criando uma nova. Este processo de Destruição Criativa é o fato essencial sobre o capitalismo. É em que consiste o capitalismo e o que cada empresa capitalista tem que se adaptar para sobreviver[…] cada peça de estratégia de negócios adquire seu verdadeiro significado apenas em relação a esse processo e dentro da situação por ele criada.”

(SCHUMPETER, p.82-84, 1942) [Tradução Livre]

OBRAS

  • Methodological Individualism (Individualismo Metodológico), (1908)
  • A natureza e o conteúdo da economia teórica (1908)
  • Teoria do desenvolvimento econômico (1911)
  • Ciclos econômicos (Business cycles) (1939)
  • Capitalismo, Socialismo e Democracia (1942)
  • História da análise econômica (1954)

CONCLUSÃO:

Com todos esses fatores que foram apresentados nos podemos concluir que Schumpeter foi um dos mais importantes economistas de todos os tempos, principalmente quando falamos sobre os seguintes temas: economia do empreendedorismo, capitalismo, econometria entre outros temas. Entre uma das maiores personalidades inspiradas por Schumpeter, podemos destacar o Nobel em economia no ano de 1970 (Paul Samuelson). Até os dias de hoje Schumpeter não é estudado apenas por economistas como também é estudado por sociólogos, administradores entre outros estudiosos.

Referências:

HAYEK, Friedrich A (2021): O Renascimento do Liberalismo: Princípios da Escola Austríaca e os ideais da liberdade econômica. Editado por Peter G. Klein; tradução de Carlos Szlak. São Paulo: Faro Editorial, 272 p.

HAYEK, Friedrich A. Desestatização do Dinheiro / Friedrich A. Hayek; tradução: Heloísa Gonçalves Barbosa. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises. Brasil, 2011. 166 p.

SCHUMPETER, Joseph A. (1942). Capitalism, Socialism, and Democracy [CSD]. Harper & Brothers.

SOBEL & CLEMENS (2021); O essencial de Joseph Schumpeter: A economia do empreendedorismo e a destruição criativa; Tradução; Matheus Paccini. São Paulo: Faro Editorial, 96 p.

Gabriel Almeida Braga

Gabriel Almeida Braga

Escritor, estudante de Ciências Econômicas, gosta principalmente de Microeconomia e da História do Pensamento Econômico (HPE), graduando em Administração de Empresas, cofundador da Apptime, fundador da iniciativa Economia para Iniciantes e editor-chefe do site Econotime.

6 thoughts on “JOSEPH SCHUMPETER E A DESTRUIÇÃO CRIATIVA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.