Berlin congelou o preço dos aluguéis e o resultado foi terrível

Em 23 de fevereiro de 2020 a Alemanha adotou um teto para os aluguéis na cidade de Berlin. Foram congelados os preços nos valores de 2019. No final de 2020, os proprietários ainda foram obrigados a reduzir os aluguéis e enquadrá-los em algum dos novos limites. Pagar menos no aluguel, parecia uma ideia muito boa.

A medida foi saudada em vários lugares, inclusive aqui no Brasil, pelo candidato do PSOL à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos ,como uma ação eficaz para garantir moradia acessível à população. Mas antes de saber quais foram os resultados, vamos entender o motivo dos aluguéis em Berlin serem tão altos.

Berlin

A velha lei que todos esquecem… sim, essa mesma, oferta e demanda

Em Berlin os aluguéis subiram muito por uma década porque, com sua vida noturna e um mercado de trabalho aquecido, Berlin se tornou uma das capitais mais procuradas da Europa pelos jovens. Estima-se que 40 mil deles chegavam à cidade por ano. Com os novos moradores, aumentou a procura por imóveis, ou seja, a demanda aumentou, fazendo dobrar os preços. Mas os salários não acompanharam na mesma proporção, irritando os moradores, que, vendo subir o custo de moradia, pressionaram as autoridades.

E com as pessoas pressionando, o veredito foi dado e decidiu-se pelo congelamento de alugueis, afinal, seria melhor assim pois as pessoas não precisariam pagar mais nos reajustes, correto? A intenção foi boa, mas leis não devem ser aprovadas tendo como base apenas boas intenções e apoio popular.

A nova lei atingiu 1,5 milhões de apartamentos e impôs que os aluguéis sejam congelados por cinco anos. Ficaram excluídos da mudança apenas imóveis construídos depois da entrada em vigor da regra. Donos de imóveis que infringirem a legislação poderiam receber uma multa de até 500 mil euros.

Após o congelamento dos alugueis, qual foi o resultado?

Após o congelamento os valores ficaram, em média, 11% mais baratos com o controle de preços, mas encontrar um teto para morar na capital alemã é muito, mas muito difícil.

Segundo a revista inglesa “The Economist” o número de imóveis anunciados nos classificados caiu 42%. Uma queda extremamente expressiva.

Quem mora de aluguel prefere ficar onde está, pois corre o risco de não achar outro lugar. E os proprietários, em vez de alugar, preferem morar nos imóveis, ou vender já que com o controle de alugueis, se torna mais viável a venda dos mesmos visto que assim os donos podem ter um retorno maior.

Além disso com o congelamento a demanda aumentou de forma não natural já que os alugueis foram barateados via canetada, e com uma demanda maior para uma menor oferta o resultado deveria ser imoveis disponiveis com preços mais salgados, mas por conta da lei isso não aconteceu, o que aconteceu foi algo pior.

Se é ruim pagar um aluguel alto, e que tal não ter onde alugar? esse foi o resultado.

Enquanto isso, nos apartamentos novos, que não são controlados, os aluguéis aumentaram muito mais rápido do que em outras grandes cidades alemãs, já que costumam ser os únicos disponíveis.

Depois da tragédia, o congelamento de aluguéis é revogado

O Tribunal Constitucional da Alemanha anunciou em 15/04/2021 a anulação da lei para controlar os preços dos aluguéis em Berlim, o resultado já era esperado, como já era esperado o controle de preços parece uma ideia muito boa mas não se deve analisar uma ideia apenas pelas intenções de quem a fez, tal medida já foi aplicada em diversos países e em diversos produtos e sempre culminou em fracasso, mas as pessoas tendem a repetir esse erro muitas vezes por pura ignorância da historia.

Um povo que não conhece sua História está fadada a repeti-la

Edmund Burke

Entenda de forma geral o motivo do controle de preços não funcionar, clique aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.