Frédéric Bastiat: História, Ideias e Legado

Quem foi Frédéric Bastiat?

Frédéric Bastiat (1801-1850) foi um filósofo, economista, jornalista e político francês que viveu na primeira metade do século XIX. É considerado por muitos um dos maiores liberais de todo o século XIX e é uma referência em economia e em liberalismo clássico.

Bastiat nasceu na França no dia 30 de junho de 1801.

Juventude

Aos nove anos de idade, se tornou órfão e foi morar com seu avô que era proprietário de terras e com sua tia Justine, que foi responsável por educar Bastiat. No colégio recebe a base de sua formação. Aprende a falar grego, latim, italiano, espanhol, inglês, além do francês que Bastiat já dominava. Também aprende no colégio, Matemática, Ciências Naturais, Filosofia e claro Economia Política.

Aos 17, ele deixou a escola para se envolver nos negócios de sua família, onde foi trabalhar com o seu tio com comércio.

Em seu tempo livre lia as obras de grandes economistas, principalmente as obras de Adam Smith e de Jean Baptiste Say.

Após seis anos trabalhando no comércio, volta para junto de seu avô, que vem a falecer no ano seguinte, em 1825. Herda as terras de seu avô e então Bastiat passa a administrá-las. Se prova um ótimo administrador o que faz com que seu patrimônio se aumente consideravelmente, também continua a estudar economia de forma autodidata. Lendo pensadores como os já citados Smith e Say como também lendo David Ricardo, Jean-Jacques Rousseau entre outros.

A Lei

Ao longo de sua vida escreveu diversos ensaios e livros. Uma de suas obras mais famosa é a obra “A Lei” nessa obra que é considerada um clássico do pensamento liberal, Bastiat defende o Direito Natural e nos diz o que é a Lei e qual a sua função.

“É a organização coletiva do direito individual de legítima defesa. Cada um de nós tem o direito natural, recebido de Deus, de defender sua própria pessoa, sua liberdade e sua propriedade. Estes são os três elementos básicos da vida, que se complementam e não podem ser compreendidos um sem o outro.  E o que são nossas faculdades senão um prolongamento de nossa individualidade? E o que é a propriedade senão uma extensão de nossas faculdades?

Se cada homem tem o direito de defender — até mesmo pela força — sua pessoa, sua liberdade e sua propriedade, então os demais homens têm o direito de se concertarem, de se entenderem e de organizarem uma força comum para proteger constantemente esse direito.”

(BASTIAT, 2010, p. 11 e 12)

O Que se Vê e o Que Não se Vê

Bastiat também foi responsável por elaborar o insight que hoje conhecemos como o que se vê e o que não se vê. Que pode ser resumida da seguinte forma:

“Na esfera econômica, um ato, um hábito, uma instituição, uma lei não geram somente um efeito, mas uma série de efeitos. Dentre esses, só o primeiro é imediato. Manifesta-se simultaneamente com a sua causa. É visível. Os outros só aparecem depois e não são visíveis. Podemo-nos dar por felizes se conseguirmos prevê-los. Entre um bom e um mau economista existe uma diferença: um se detém no efeito que se vê; o outro leva em conta tanto o efeito que se vê quanto aqueles que se devem prever.

E essa diferença é enorme, pois o que acontece quase sempre é que, quando a consequência imediata é favorável, as consequências posteriores são funestas e vice-versa. Daí se conclui que o mau economista, ao perseguir um pequeno benefício no presente, está gerando um grande mal no futuro. Já o verdadeiro bom economista, ao perseguir um grande benefício no futuro, corre o risco de provocar um pequeno mal no presente.”

(BASTIAT, 2010, p. 19)

Esse princípio de Bastiat serviu de base para a elaboração da obra do economista Henry Hazlitt conhecida como Economia Numa Única Lição.

Porém Hazlitt não foi o único economista influenciado por Bastiat, nomes como Ludwig von Mises, F.A. Hayek, David Friedman e Murray Rothbard também foram influenciados por Bastiat.

Deputado

Em 1848, é eleito deputado constituinte e, em seguida, é conduzido à Assembleia Legislativa, onde se torna “inclassificável”, pois se revela:

“republicano demais para os conservadores e conservador demais para os republicanos.”

LEGADO

No dia 24 de dezembro, véspera de natal, Bastiat acaba falecendo precocemente com menos de 50 anos de idade.

Embora esse economista francês não seja tão famoso como outros economistas clássicos como Malthus, Say, Adam Smith, Ricardo e Stuart Mill. Com certeza Bastiat teve sua contribuição para o pensamento econômico.

REFERÊNCIAS:

BASTIAT (2010), Frédéric – A Lei / Frédéric Bastiat. – São Paulo : Instituto Ludwig von Mises Brasil.

BASTIAT (2010), Frédéric – O Que se Vê e o Que Não se Vê / Frédéric Bastiat – São Paulo : Instituto Ludwig von Mises Brasil.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

O QUE SE VÊ E O QUE NÃO SE VÊ: https://amzn.to/2VRuWcJ

Outro ótimo livro de Bastiat “A Lei”: https://amzn.to/2XabrNr

Crie agora sites e apps do seu jeito com a Apptime!


Gabriel Almeida Braga

Gabriel Almeida Braga

Escritor, estudante de Ciências Econômicas, gosta principalmente de Microeconomia e da História do Pensamento Econômico (HPE), graduando em Administração de Empresas, cofundador da Apptime, fundador da iniciativa Economia para Iniciantes e editor-chefe do site Econotime.

One thought on “Frédéric Bastiat: História, Ideias e Legado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.