FMI e Equador: quarta revisão no acordo

A pequena economia latino-americana continua sob desafio diante de negociações com o Fundo Monetário Internacional.

No dia 4 desse mês, iniciou-se a quarta reunião entre o Fundo e o governo do país, para se tratar a respeito dos termos e condições para se conseguir os auxílios de crédito.

A quarta reunião ocorreria ainda em dezembro de 2021, mas foi adiada pelo fato de o governo equatoriano ter decidido em congelar os preços da gasolina e do Diesel (a gasolina de alta octanagem continua com preços livres). Com a revisão, o país irá receber US$ 700 milhões do FMI.

Uma das propostas do governo Guillermo Lasso envolve a aprovação da chamada Ley de Inversiones (“Lei de Investimentos”), cujas propostas envolvem zonas francas, onde é previsto:

  • Exoneração de impostos total em imposto de renda por dez anos e, com o período passado, uma redução de 10 pontos percentuais no imposto;
  • Isenção em impostos de saída de divisas;
  • Isenção de impostos sobre valor agregado para compra de máquinas e insumos;
  • Redução de impostos relacionados ao comércio exterior;

Todavia, o projeto foi arquivado no congresso do país nesse dia 22, evidenciando os embates entre o Executivo e o Legislativo.

Informações de Primicias Ecuador.

Felipe Lange

Felipe Lange

Escritor, entusiasta de Economia e graduando em Biologia. Escreve e traduz artigos para o seu blog OCAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.