Juros chilenos chegam a 8,25 % anuais

Na terceira reunião do ano, o Banco Central de Chile decidiu em aumentar os juros na ordem de 1,25 ponto percentual, acima do esperado pelo mercado, já que se esperava um aumento de 1 ponto percentual. A reunião foi feita na semana passada, no dia 5 de maio.

É a segunda reunião onde Rosanna Costa, a nova presidente do banco central, participou.

Assim, os juros foram de 7 para 8,25 % anuais, maior valor desde dezembro de 2008.

Histórico de juros, maio de 1995 a maio de 2022.

Conhecido por sua estabilidade entre os irmãos sul-americanos, o Chile se vê obrigado a apertar a política monetária.

O índice de preços no país, que estava menor do que nos EUA, já começa a preocupar, com uma alta de 10,5 % anuais em março de 2022.

Índice de preços em variação anual: Brasil (laranja), Chile (azul) e Estados Unidos (verde água), março de 2015 a março de 2022.

Segundo a nota do comitê, pressões externas englobam os humores negativos dos mercados financeiros e a fuga mundial ao dólar americano, assim como alta nos preços dos alimentos.

Após uma valorização respeitável até abril, o peso chileno vem sofrendo desvalorização, tanto por causa da fuga mundial ao dólar americano, quanto pela baixa nos preços internacionais do cobre.

Informações de Trading Economics.

Felipe Lange

Felipe Lange

Escritor, entusiasta de Economia e graduando em Biologia. Escreve e traduz artigos para o seu blog OCAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.