DXY com alta impressionante e peso em alta

Nesse domingo, dia 15 de maio, o dólar americano atingiu uma alta quase histórica: 104,56 pontos, o maior valor desde 16 de dezembro de 2002.

Tal alta se dá por razões tais como:

  • Falas falconistas do Fed e apostas sobre uma alta ainda mais intensa nos juros americanos (com possibilidade de uma alta de 0,75 ponto percentual na próxima reunião);
  • Tensões geopolíticas e incertezas da guerra na Ucrânia;
  • Diferencial entre a postura falconista do banco central americano com as posturas de bancos centrais importantes tais como o Banco Central Europeu e o Banco do Japão;

Com isso, moedas emergentes como o real brasileiro sofrem, assim como a rúpia indiana.

Apesar dessa reversão, o real continua com valorização acumulada no ano em 12,15 %, conforme demonstra o gráfico abaixo:

Desempenho do Índice DXY (azul) e real brasileiro ante dólar americano, acumulado do ano.

Mesmo com a valorização, fica evidente a volatilidade dessa trajetória, o que é diferente do peso mexicano.

E o México?

Enquanto a moeda do México se valorizou bem menos no acumulado do ano, ela se mostrou bem menos volátil, inclusive nos dias de maior alta no dólar:

Desempenho de real brasileiro (laranja) e peso mexicano (azul) ante dólar americano, mesma periodicidade.

O Banxico (como é conhecido o Banco Central de México) elevou a sua taxa básica de juros nessa última quinta (12), com uma alta de 0,5 ponto percentual, conforme o esperado. Assim, os juros foram de 6,5 para 7 % anuais.

Taxa de juros, últimos 5 anos.

Em nota à imprensa, o comitê ressaltou pressões externas da guerra na Ucrânia, assim como as pressões internas tais como a alta dos preços dos alimentos, o que certamente influenciou na alta de índice de preços no país, com 7,68 % anuais em abril, no maior valor desde janeiro de 2001.

Grande parte do comitê votou pelo aumento de 0,5 ponto percentual, com Irene Espinosa divergindo e votando por um aumento maior, de 0,75 ponto percentual.

A presidente do Banxico, Victoria Rodríguez Ceja, não descartou a possibilidade de uma postura ainda mais dura em relação ao ritmo de aperto monetário.

Taxa cambial dólar americano/peso mexicano: 22/09/2014 – 16/05/2022.

Informações de Trading Economics.

Felipe Lange

Felipe Lange

Escritor, entusiasta de Economia e graduando em Biologia. Escreve e traduz artigos para o seu blog OCAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.