Entre a Altivez e a Dura Realidade: a Áustria de Carl Menger

No texto de hoje de nosso projeto que tem como objetivo escrever textos sobre a vida e obra do fundador da Escola Austríaca de Economia, Carl Menger (1840-1921) iremos apresentar brevemente a história da Áustria deste período.

Na segunda metade do século XIX e nos primeiros anos do século XX, a Áustria viveu entre a Altivez e a dura Realidade. Em outras palavras, apresentava para o mundo uma imagem de grandeza que não concordava com os graves problemas que enfrentava.

Para o observador externo do século XIX, a Áustria ostentava um passado glorioso, governado desde 1273 pela importante família dos Habsburgos. Além disso, era impressionante a longevidade do Imperador Francisco José I da Áustria (1848-1916), que ficou no trono por 68 anos. Somava-se a essa imagem as nada menos que doze nacionalidades que compunham o Império, que apenas perdia para a Rússia em termos de extensão na Europa. Por fim, a contribuição cultural e intelectual austríaca era invejada por muitos.

Imperador da Áustria Francisco José I da Áustria (1848-1916).

Todavia, por trás desta imagem, a Áustria vivia uma decadência da qual não se recuperaria. Depois de perder a hegemonia no mundo alemão para a Prússia, foi forçada a fazer no ano de 1866 uma aliança com a Hungria, criando o Império Austro-Húngaro (1867-1918). Não conseguindo manter a unidade dos doze povos que viviam no Império, que buscavam cada vez uma maior autonomia ou independência, a derrota na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) determinou o fim para o outrora glorioso Império. Inclusive, de tão fragmentado, não houve nenhuma tentativa concreta para reaver o Império ou a família Habsburgo ao poder.

Bandeira do Império Austro-Húngaro (1867-1918).

Diante de tal cenário, Menger nutria um profundo pessimismo sobre o futuro de seu país, que sem dúvida afetou a sua obra, limitada a apenas dois livros. Um de seus discípulos mais brilhantes, Ludwig von Mises (1881-1973), afirmou que esse pessimismo “subjugou a alma de Carl Menger”. Quantas contribuições intelectuais do fundador da Escola Austríaca de Economia esse pessimismo nos roubou? Jamais saberemos a resposta.

Otavio Piaskowski

Otavio Piaskowski

É historiador, com formação pela Universidade Tuiuti do Paraná (2017). Além disso, é especialista em História Cultural pelas Faculdades Integradas Espírita (2019) e em Escola Austríaca de Economia (2021) pelo Centro Universitário Ítalo-Brasileiro realizado em parceria com o Instituto Ludwig von Mises Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.