Brasil: base monetária continua em contração

Em um ciclo de aperto monetário iniciado em março de 2021 (ainda que tenha ganhado intensidade ao longo dos meses seguintes), um dos resultados se deu no crescimento da base monetária.

A base monetária engloba todo o dinheiro criado pelo banco central, sobre o qual o banco possui o total controle. É também denominada de M0.

Base monetária, média móvel de 12 meses, janeiro de 2003 a abril de 2022. Sistema Gerenciador de Séries Temporais, do Banco Central do Brasil.

A magnitude da queda vista em abril não ocorria desde o segundo semestre de 2003, quando houve um ciclo de contração monetária, iniciado ainda em 2002.

Base monetária, média móvel de 12 meses, janeiro de 2019 a abril de 2022. Sistema Gerenciador de Séries Temporais, do Banco Central do Brasil.

Em abril de 2022, último mês da série de dados, a taxa básica de juros (SELIC, Sistema Especial de Liquidação e Custódia) ainda estava em 11,75 %. Assim, com os atuais juros de 13,25 %, espera-se uma continuidade na contração da base monetária.

Desde março de 2021, o crescimento da base monetária se desacelerou, até que iniciou em seu território negativo no mês de setembro do mesmo ano.

Base monetária, variação anual, janeiro de 2019 a abril de 2022. Sistema Gerenciador de Séries Temporais, do Banco Central do Brasil.

A contração deverá em algum momento provocar desaceleração nos índices de preços. Apesar disso, deve-se levar em conta de que o M0, apesar de ter sido todo o dinheiro criado pelo banco central, não entra diretamente na economia, pois isso é proibido pela Lei Complementar nº 101 (Lei de Responsabilidade Fiscal).

Todavia, como esse dinheiro está entregue ao sistema bancário, são os bancos que irão usar isso como “base” para expandir o meio circulante, tais como M1 e M2, sendo ambos os agregados monetários que englobam o dinheiro que já está na economia, criado pelo sistema bancário, através do sistema de reservas fracionárias.

Base monetária, variação anual, janeiro de 2003 a abril de 2022. Sistema Gerenciador de Séries Temporais, do Banco Central do Brasil.

Informações do Banco Central do Brasil.

Felipe Lange

Felipe Lange

Escritor, entusiasta de Economia e graduando em Biologia. Escreve e traduz artigos para o seu blog OCAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.